Abrasados

Sonho com a ternura abrasadora
da tua pele ao sol, minha morena.
Cingir teu corpo, na ânsia que envenena
e te apertar com sede domadora.

Eu quero a calidez inflamadora
dos teus seios macios. Bela cena!
Sujeita-te, que a chama em mim o ordena
pra consumir-te as curvas, sedutora.
Sujeita-te. Desbravo as tuas curvas
até que encontro, em meio a ondas turvas,
o que quer tanto a sede insaciada.

Em meio a convulsões, suor e beijos:
prazer que explode em ânsias e desejos –
grande paixão que aos anjos foi negada.

Filipe Cavalcante
18.09.2010

Filipe Cavalcante, estudante de Direito da Universidade Estadual do Piauí – UESPI.

Anúncios

4 responses to this post.

  1. Apesar do texto ser de outro autor, senti um quê do momento de Hênio Aragão nele. hehehe.

    Parabéns pelo blog. Sucesso, meu irmão!

    Responder

  2. as poesias do Filipe são bem interessantes de se ler… são existencialistas, lembra também Manuel Bandeira. é um honra poder postar uma poesia deste cara aqui.

    Responder

  3. Posted by Nannynha on 01/12/2011 at 21:39

    fico muito feliz em passar por aqui e da de cara
    com textos maravilhosos, que fasem bem para minha alma.
    parabéns…

    Responder

  4. Muito obrigado por divulgar o Poesia Retrô

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: