ELUCUBRAÇÕES

opensador

             Tenho deparado-me, não raro, com indagações acerca da existência humana, sobre como existimos e sobre qual seria a verdadeira finalidade da vida. Pode ser que todas essas questões pareçam pueris e que dai nada se possa construir, pode não trazer benefícios, sejam eles de que natureza for.

            Mas me parece que estamos a tratar sobre verdades ocultas que nos regem e que, se porventura, fossem descobertas muitos equívocos seriam evitados. Porém, vem-me a incomoda ideia de que podemos circunstancialmente não estamos preparados ou aptos a assimilar algumas informações… Talvez estas enigmas se revelem conforme a capacidade auferida para enxergá-las.

             Para começarmos a buscar algumas explicações, precisaríamos chegar às respostas de tais indagações, que seriam: o que é o falso? O que é ilusão? E as verdades, como elas estão estabelecidas? Elas existem? Será o homem capaz de compreendê-las?

              A princípio, “falso” seria aquilo que conflita com a verdade. Já a “ilusão” não segue este mesmo princípio, ela é uma ideia deturpada da verdade.

             Ponderemos: em todas as épocas da humanidade, desde os homens mais primitivos aos mais modernos, concebemos a ideia de uma divindade, causa primeira de todas as coisas. Como saber se tal concepção não é fruto de imaginação, de uma necessidade intrínseca do homem de atribuir aos fenômenos naturais, incompreensíveis em cada época, uma causa?

             A natureza é toda administrada por leis naturais imutáveis, que resistem à passagem do tempo e é espacialmente igual, ou seja… um fenômeno natural não varia no tempo e no espaço. Essas leis naturais também podem ser denominadas de verdades universais. Assim, como seres componentes da natureza, temos as “verdades universais” contidas em nosso cerne. Afinal, somos regidos por leis naturais, tal como as plantas e os animais “irracionais”. O que nos diferencia dos demais seres da natureza é a capacidade da qual somos detentores de buscar o conhecimento, de buscar as verdades que nos regem.

             Considerando o fato de que a humanidade teve um princípio e, qual um organismo, ela vem passando por diferentes etapas de desenvolvimento, podemos imaginar que estivemos em um estado primitivo e que passamos por diversas fases até aqui…. dizer que estamos maduros é precipitado, haja vista as barbáries que ainda acontecem, porém tal linha de raciocínio nos auxiliará a desenvolvermos a seguinte ideia: se temos em nós escritas as leis naturais, nada mais consequente que elas se revelem, todavia, deturpadas, pois a condição rudimentar da humanidade não permite que as vislumbremos em plenitude, e assim, confundimos sensações exteriores e interiores e criamos uma ilusão das verdades. À medida que a humanidade progride, ela amplia o seu alcance de visão e as ilusões tornam-se menores.

             indaga-se, finalmente: as concepções primitivas de divindade não seriam uma ideia inata de que esta divindade existe? Do politeísmo ao monoteísmo, do Deus antropomórfico ao Deus Essência universal, estar-se-ia a depurar-se uma verdade?

Hênio Aragão

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: